Quando lembro da massa da mandioca, mãe...

Blog de musicaemprosa : Música em Prosa, Quando lembro da massa da mandioca, mãe...

O ano: 1980. A Rede Globo resolve reeditar os festivais da canção, com o denominado MPB 80. Um cantor baiano contagia o público com sua canção, e fica classificado em terceiro lugar. A composição até hoje ecoa... Raimundo Sodré, cantando a sua música, feita em parceria com Jorge Portugal. Seu nome: A MASSA. 

Quando se ouve a introdução, universal e regional, com samba-de-roda e de chula, já se percebe tratar-se de uma canção diferenciada.

Blog de musicaemprosa : Música em Prosa, Quando lembro da massa da mandioca, mãe...

A massa é, ao mesmo tempo, sujeito e objeto, a nossa dor é a dor do menino acanhado, do menino bezerro que vira massa no curral do mundo. A mão que amassa a comida, também molda e amassa "a massa dos homens normais". 

A canção tem uma série de interpretações, desde a crítica social dos meninos marcados que amassama a mandioca em casas de farinha, bem como a desindividualização do homem, que como jerimum amassado, é colocado como parte de uma massa, massa de meninos...

Essa dor se revela num gemido calado, que salta aos olhos, mas parece não haver alternativa a viver nesse moinho de homens, que amassam e são amassados, e a massa amassada é mansa (reparem na aliteração da massa que amassa e mansa é amassada), e que, quando se lembra da massa da mandioca, o que acontece???   

Blog de musicaemprosa : Música em Prosa, Quando lembro da massa da mandioca, mãe...

Raimundo Sodré, numa entrevista ao site http://aqueimaroupa.com.br, disse, sobre a canção e sua apresentação no maracanãzinho, em 1980: : 

- Ver aquele mundo de gente cantando A Massa foi muito especial pra mim, lá na frente meu pai pulando e cantando, segurando as bolsas de todo mundo e vibrando comigo! Ficamos em terceiro lugar, atrás de Oswaldo Montenegro e Amelinha. A música já era um verdadeiro sucesso, tocava em todas as rádios do país", pontua Sodré.

Sobre a inspiração que o levou a compor a música "A Massa", Raimundo Sodré conta que estava assistindo a um telejornal e viu uma notícia sobre determinada reivindicação da classe média e uma outra sobre a mandioca, quando deu o "estalo":

- Fui dormir, quando acordei no outro dia, já estava com o refrão da música na minha cabeça, ‘quando eu lembro da massa da mandioca mãe, a massa...' (cantarola). Ainda falei com minha mulher, imagine o Maracanãzinho cantando essa música... Dito e certo, previ o sucesso! Mas, antes, gravei a música, em 1976, e levei pra Jorge Portugal fazer a letra, aí ele fez e quando eu ouvi, me emocionei demais. Essa música foi coisa de Deus, porque quando peguei o violão para fazer os acordes, eles casavam perfeitamente com o refrão, acho que Deus colocou no meu ouvido... mas, minha maior tristeza é saber que minha mãe não acompanhou o sucesso da Massa, uma pena! - revela o artista.

E o que acontece quando a gente lembra da massa da mandioca?? Fazendo referências em inglês e francês, a "massa" pode ser lembrada como uma referência à maconha, quando fala que "nunca mais me fizeram aquela presença", em que "massa" e "presença" eram gírias referentes ao consumo...

Blog de musicaemprosa : Música em Prosa, Quando lembro da massa da mandioca, mãe...

Mas ele deixa claro que a massa que fala "é a que passa fome", para, em seguida, fazer referências a samba-de-roda, pontos de candomblé. A beleza dessa música não é a mesma de pouco mais de 30 anos atrás, é uma beleza nova, diferente, que se renova e transforma.Vale a pena ouvi-la.... 

A dor da gente é dor de menino acanhado
Menino-bezerro pisado no curral do mundo a penar
Que salta aos olhos igual a um gemido calado
A sombra do mal-assombrado é a dor de nem poder chorar

Moinho de homens que nem jerimuns amassados
Mansos meninos domados, massa de medos iguais
Amassando a massa a mão que amassa a comida
Esculpe, modela e castiga a massa dos homens normais

Quando eu lembro da massa da mandioca mãe, da massa
When I remember of "massa" of manioc
Nunca mais me fizeram aquela presença, mãe
Da massa que planta a mandioca, mãe

A massa que eu falo é a que passa fome, mãe
A massa que planta a mandioca, mãe
Quand je rappele de la masse du manioc, mére
Quando eu lembro da massa da mandioca

Lelé meu amor lelé no cabo da minha enxada não conheço "coroné"
Eu quero mas não quero (camarão).
Minha mulher na função (camarão)
Que está livre de um abraço,
mas não está de um beliscão

Torno a repetir meu amor: ai, ai, ai!
É que o guarda civil não quer a roupa no quarador
Meu Deus onde vai parar, parar essa massa
Meu Deus onde vai rolar, rolar essa massa

Fonte: http://aqueimaroupa.com.br/2010/07/25/sodre-o-cantador-das-dores-e-amores-da-massa/

A Massa, Raimundo Sodré

domingo 18 setembro 2011 17:49 , em Festivais



1 comentário(s)

  • venicia123_brasil@hotmai mailto Sáb 29 Jun 2013 23:09
    oi, boa noite, não sei se um dia vc vai ler. mas vc é tio do meu pai. estou aqui sem saber como fazer pra vc ler, essa , mensagem. mas vc tem um sobrinho que é muito,especial,é meu pai. seu sobrinho.José gimos.filho de Luzia pereira. não temos muita informação. mas sabemos que vc é um homem que meu pai ouvia cantar pelo rádio.e ficava todo horgulhoso,em saber que vc é tio dele. se um dia vc ou alguém ler. por favor entre em contato. obrigado.


Seu comentário :

(Opcional)

(Opcional)

error

Importante: comentários racistas, insultas, etc. são proibidos nesse site.Caso um usuário preste queixa, usaremos o seu endereço IP (54.211.235.255) para se identificar     



Abrir a barra
Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para musicaemprosa

Precisa estar conectado para adicionar musicaemprosa para os seus amigos

 
Criar um blog